A metodologia 8D: Como conquistar uma entidade formadora?

Sessão de partilha de conhecimento: "A metodologia 8D: Como conquistar uma entidade formadora?", realizada no dia 28 de outubro, com Pedro Paiva (Auditor/Consultor/Formador em Qualidade e Inovação). Poderá aceder ao PDF apresentado durante a sessão. Vídeo já disponível. Clicar na Imagem

metodologia8D tube

 

 

Tópicos:
1. A identificação do problema.
2. A metodologia 8D.
3. A análise de uma aplicação prática

 

 

 

 

 

 

 

A sessão será emitida e Gravada no Youtube. Todos os inscritos receberão um email com o link de acesso à sessão, o link de acesso ao vídeo e o documento apresentado durante a sessão. Não é emitido certificado de participação.

Gamification na Formação

Vídeo disponível da sessão de partilha de conhecimento: "GAMIFICATION NA FORMAÇÃO", realizada no dia 3 de Outubro, com Carla Ventura, da empresa MagicBit. (clicar na Imagem)

Poderá fazer download do documento apresentado pela dinamizadora da sessão AQUI

webinargamification

 

 

Conteúdos da sessão Gamification na formação:

 Conceito de Gamification
 Gamification vs. Game Based Learning
 Elementos e mecânicas de jogo utilizados na Gamification
 O que motiva o ser humano e existe nos jogos
 Situações na formação em que a Gamification ou o Game Based Learning faz
sentido
 Vantagens para a formação
 Processo de criação de um projeto de Gamification virtual

 

Nota: A sessão será emitida e gravada no Youtube. Podem ser colocadas questões/dúvidas nos comentários do Youtube ou então via email. Todos os inscritos receberão um email com o link de acesso à sessão, o link de acesso ao vídeo e o documento apresentado durante a sessão. Não é emitido certificado de participação.

 

 

ticEDUCA 2016: Duas entradas gratuitas

 

logo-horizontal-w616-h292Temos DUAS entradas Gratuitas para oferecer para o ticEDUCA 2016, que decorre no Instituto de Educação- Universidade de Lisboa, nos dias 8, 9 e 10 de Setembro. Participe neste concurso até ao dia 31 de Agosto. Basta enviar o seu melhor ficheiro/documento de sua autoria, de qualquer área, para partilhar na Mediateca de Formação (fazer login, Mediateca de Formação, Enviar Ficheiro). Na descrição ou no nome do ficheiro/documento, deverá escrever: ticEDUCA2016. Todos os documentos enviados serão analisados, recebendo automaticamente o triplo dos créditos atribuídos). 

Critérios de Avaliação: Autoria Pessoal do Ficheiro; Possibilidade de editar o Ficheiro; Actualidade da Informação; Singularidade e Qualidade na estrutura e conteúdo do Ficheiro.

Crédito Formação

PT guestblog02 creditoformacao 10082016 final 

Crédito formação cada vez mais requisitado pelos estudantes portugueses

 

Existe uma crescente necessidade dos portugueses recorrem ao Crédito Formação, um tópico que ao longo das próximas semanas estará na ordem do dia, atendendo à abertura da época dos resultados das candidaturas para o Ensino Superior.

Segundo o Eurostudent - projeto que estuda as condições socioeconómicas dos estudantes europeus - sem alojamento, um estudante europeu gasta, em média, 628€ por mês (com alimentação, manuais académicos, transportes e outros custos do dia-a-dia).

Ora, se o apoio familiar não é suficiente, o crédito bancário para estudantes – designado por crédito formação – apresenta-se como uma alternativa, sobretudo para quem se vê obrigado a deslocar da sua cidade ou até mesmo para quem pretende estudar lá fora. Na verdade, este é dos mais utilizados dentro dos créditos especializados em Portugal.

De facto, de acordo com os últimos dados do Banco de Portugal, no que toca ao crédito ao consumo com a finalidade educação, saúde, energias renováveis e locação financeira de equipamentos concedido em maio, as instituições financeiras de crédito nacionais concederam um total de quase 129 milhões de euros em empréstimos aos consumidores, representando um aumento de 135,3% face ao valor concedido no mesmo período do ano anterior.

Oferta acompanha procura

No entanto, é preciso ter muita atenção a alguns aspetos quando se contrata um produto desta natureza, nomeadamente às condições de pagamentos e aos períodos de carência. É precisamente relativamente a estes pontos, que podem fazer toda a diferença na gestão financeira dos estudantes, que o diretor geral do ComparaJá.pt, Sérgio Pereira, afirma ser importante “ter em conta todas as comissões de abertura do dossier, assim como os períodos de carência de crédito inicial”.

Neste momento existem várias instituições financeiras de crédito a disponibilizar esta oferta, sendo a maioria dos créditos de dez mil euros (os quais apresentam uma TAEG a rondar os 6%). Apesar de se inserir dentro da categoria de crédito pessoal, esta finalidade de empréstimo pode ajudar a concluir uma licenciatura, mestrado ou doutoramento (ou até a comprar um computador). Por isso mesmo, os valores do empréstimo podem ir desde os mil euros até aos 75 mil euros.

Tendo em conta que este é um momento em que muitos estudantes estão à espera das colocações para entrar no Ensino Superior, a plataforma de comparação de produtos financeiros simulou algumas soluções deste produto para um valor de 7 mil euros a pagar durante 5 anos, patentes no quadro abaixo:

Instituição Financeira

Produto

TAEG

Mensalidade

Montante Total Imputado ao Consumidor

BPI

Crédito Formação

4,5%

130€

7.810€

Montepio

Crédito Formação

4,8%

131€

7.912€

Crédito Agrícola

Ensino

5%

132€

7.912€

Santander Totta

Crédito Formação Executiva

5,3%

133€

7.966€

Cofidis

Formação

5,5%

133€

7.991€

Caixa Geral de Depósitos

Crediformação Caixa

5,7%

134€

8.036€

Para quem pretende conhecer e simular todas as ofertas de crédito formação em Portugal, assim como respetivas condições e vantagens, a plataforma ComparaJá.pt disponibiliza aqui uma ferramenta de comparação gratuita onde pode fazê-lo em apenas 10 segundos.

Nesta altura do ano, em que tantos jovens portugueses (assim como profissionais que, por diversos fatores, se depararam com a necessidade de apostar na sua formação para dar um “salto” na carreira) se preparam para candidatar a cursos/formações superiores, precisando de fazer contas ao orçamento, de certeza que o “desenvolvimento desta temática poderá fazer toda a diferença aquando da escolha das soluções mais vantajosas”, remata o diretor da plataforma de comparação.

POCH: Programa Operacional Capital Humano

pochO Programa Operacional Capital Humano (POCH), aprovado pela decisão da Comissão Europeia  de 12 de Dezembro de 2014, visa contribuir para um crescimento inteligente, sustentável e inclusivo e para a coesão económica, social e territorial. Poderá aceder a alguns dados estatísticos relevantes aqui e aqui.

O cumprimento das metas da Europa 2020 assenta em cinco grande objetivos:

1. A promoção do sucesso e a redução do abandono escolar (ESL);

2. A melhoria da empregabilidade através do ajustamento das ofertas com as necessidades do mercado de trabalho;

3. O aumento da atratividade e do número de diplomados do ensino superior;

4. A melhoria das qualificações da população adulta;

5. A promoção da qualidade e da regulação do sistema de educação e formação.

 Para tal, o POCH tem cinco eixos de apoio com uma dotação financeira disponível de acordo com a prioridade de investimento:

Eixo 1 – Promoção do sucesso educativo, do combate ao abandono escolar

Eixo 2 – Reforço do ensino superior e da formação avançada

Eixo 3 – Aprendizagem, qualificação ao longo da vida

Eixo 4 – Qualidade e inovação do sistema de educação e formação

Eixo 5 – Assistência Técnica

O domínio temático "Capital Humano" é da maior importância estratégica para Portugal, pois o retorno sobre este investimento permite corrigir desequilíbrios estruturais que ainda persistem entre o país e os Estados Membros mais desenvolvidos da União Europeia (UE), quer a nível das desigualdades sociais quer a nível das económicas, em termos de indicadores de produtividade, escolarização e especialização competitiva da economia. O investimento inteligente no capital humano é o motor mais sustentável do desenvolvimento e da promoção da convergência económica e social. A Autoridade de Gestão do Programa Operacional Capital Humano, criada pela Resolução de Conselho de Ministros n.º 73-B/2014, de 16 de dezembro, é uma estrutura de missão na Administração Central do Estado. Mais Informações